Alunos dos cursos de Automação Industrial, Eletrônica e Mecatrônica representam a ETEC Júlio de Mesquita na Olimpíada Brasileira de Robótica 2017

Por Tatiana Vianna

Fotografia: Egmar Accetto e Edivaldo Nonato

Vídeo: Egmar Accetto

As olimpíadas ou desafios de robótica têm conseguido promover pelo mundo, o que hoje é conhecido como STEM Education que é a sigla de  Science, Technology, Engineering and Math – Education (Ciência, Tecnologia, Engenharia e Matemática-Educação), que normalmente vem acompanhada de for Global Leadership (para uma liderança global), motivo pelo qual aulas e desafios tem sido cada vez mais valorizados.

Os alunos da ETEC Júlio de Mesquita marcaram presença na edição 2017 da Olimpíada Brasileira de Robótica (OBR), que aconteceu no sábado, 12 de agosto de 2017, na Faculdade de Engenharia Industrial (FEI), em São Bernardo do Campo.

Como em qualquer olimpíada as equipes formadas pelos alunos precisaram treinar além do horário normal de aulas, e para tal, contaram com o apoio e acompanhamento dos professores Edivaldo Nonato, coordenador do curso de Mecatrônica, Eduardo Calsan, coordenador do curso de Automação Industrial, e Egmar Accetto docente dos cursos de Eletrônica e Automação Industrial.

“Os treinos ocorreram na escola e na empresa SOMAI, que forneceu os kits de robótica da LEGO à escola, às segundas, terças e quintas feiras, das 17h às 19h, além de alguns sábados” conta o professor Egmar Accetto.

Ainda não acabou…

Os professores Egmar, Eduardo Calsan e toda a equipe docente dos cursos de Eletrônica e Automação Industrial  ficaram extremamente satisfeitos e orgulhosos com o empenho dos alunos na competição prática e também nas provas teóricas. “Ainda teremos o aluno Giovanni Almeida, aluno do ensino médio integrado ao técnico em eletrônica – 3ºC, participando de uma última prova teórica no dia 25 de agosto” lembra o professor Egmar, que parabeniza a todos pelo engajamento nessa  jornada,  que é a primeira de muitas que virão.

Veja a galeria de imagens no final desta matéria.

Confira no vídeo a seguir

“O capitão da equipe ‘R Passa’, Giovanni Almeida,  colocando seu robô seguidor de linha sobre o percurso. Como se percebe, o robô se perde em alguns pontos do trajeto, não conseguindo completar o caminho. O juiz permite, como em todos os casos da competição, que sejam feitas 3 tentativas em cada trecho: as curvas do início, com a fita verde de marcação para indicar o caminho correto; a passagem pelo obstáculo, bloco negro; a passagem pelo portal laranja e a subida da rampa. Em todos esses casos o robô sofreu pela falta de alterações que deveriam ter sido feitas em sua estrutura. Os alunos integrantes da equipe perceberam a necessidade das mudanças e irão sugeri-las às equipes que participarão da OBR no próximo ano.” Prof. Egmar Accetto

Olimpíadas de Robótica pelo mundo

Equipe mineira representou o Brasil no FIRST* Global Challenge 2017 (FIRST – Desafio Global, edição 2017), competição que tem objetivo de despertar a paixão pela pesquisa na área de STEM e robótica, ao lado de participantes de 160 países. Conheça um pouco mais clicando aqui.

Este ano, os competidores tiveram como desafio  encontrar soluções no âmbito da robótica para promover o acesso à água limpa, pois segundo Dean Kamen (fundador da FIRST, renomado inventor norte americano),  isso reduziria em 50% o número de leitos ocupados em hospitais em todo o mundo.

Nessa competição fizeram- se presentes países com diferentes graus de desenvolvimento econômico, mas com o comum entendimento de que incentivar estudantes a participar pode promover a liderança global. Dentre os participantes esteve presente, por exemplo, um grupo de 6 afegãs que muito se empenhou para conseguir apresentar sua solução, pois teve a entrada recusada nos EUA por 2 vezes, mesmo estando devidamente inscrito (confira a apresentação do grupo aqui).

*FIRST: For Inspiration and Recognition of Science and Technology (em português: para inspiração e reconhecimento da ciência e tecnologia)

 

Galeria OBR 2017